E. KASPERSKY

Olá a todos!

Meu nome é Eugene Kaspersky, presidente e CEO da Kaspersky Lab. Alguns me chamam de o “Papa dos Vírus”, por causa dos meus 22 anos de experiência na área e pelo reconhecimento por parte da indústria no combate ao malware.

Neste blog apresento as minhas opiniões pessoais sobre temas da atualidade. Aqui encontrarão as minhas reflexões a respeito de notícias recentes sobre a segurança da informática e o desenvolvimento da indústria. Bem, pelo menos é isso que pretendo fazer.

No entanto, a minha intenção aqui é estabelecer uma conversa mais extensa e discutir outros assuntos que, por vezes, vão muito além dos difíceis temas da segurança. Viajo muito, conheço muita gente de países diferentes e participo em muitas conferências. Acredito que uma interação mais ampla e descontraída será muito mais interessante por oferecer perspectivas mais abrangentes.

Além disso, aproveito para convidá-los a conhecer os blogs relacionados com a segurança da informática dos principais especialistas da Kaspersky Lab. Estes são fontes especializadas de grande qualidade, sob a responsabilidade de pessoas em quem confio.

As minhas opiniões não representam necessariamente as opiniões da Kaspersky Lab, mas espero que elas suscitem inúmeras ideias, que servirão de ponto de partida para uma discussão agradável.

Biografia

Nasci em 1965, em Novorossiysk, Rússia.

Desde pequeno tenho um interesse muito especial pela matemática. Na escola secundária, um dos meus hobbies preferidos era resolver quebra-cabeças publicados em revistas técnicas. Felizmente, minha mãe logo notou minha inclinação e decidiu cultivar meus talentos com uma educação especializada.

Na escola secundária, tive aulas avançadas de matemática e física para alunos superdotados, organizadas pela Universidade Estatal de Moscovo. Em 1987, me formei no Instituto Russo de Criptografia, Telecomunicações e Informática, onde me especializei em tecnologia informática e engenharia matemática.

Depois de formado, trabalhei num importante centro de investigação. Durante este período, em Outubro de 1989, um colega me mostrou um arquivo que estava causando uns efeitos visuais esquisitos no seu computador. Fiquei intrigado com o arquivo, analisei-o e desenvolvi uma ferramenta para desinfectar o vírus, agora conhecido como Cascade.

Não demorou muito até que eu começasse a ser conhecido no centro como “o homem que mata os vírus” e, rapidamente, começaram a bater à porta do meu escritório trazendo outros arquivos que também se comportavam de forma estranha. Ainda que naquele tempo a era da informática estivesse apenas começando, em poucos meses analisei dezenas de vírus e fui melhorando continuamente a ferramenta de desinfecção que havia desenvolvido, chamada “V”. A cada novo vírus, o meu interesse por este fenômeno ia crescendo e rapidamente entendi que, para mim, isto era muito mais que um simples passatempo.

Em 1991 – altura em que os vírus informáticos já eram cada vez mais variados e comuns –, eu e os meus colegas desenvolvemos o “AVP” (um acrônimo de “Antiviral Toolkit Pro”, acidentalmente mal escrito!) – o protótipo do antivírus da Kaspersky. A nossa missão era simples: criar o melhor programa de proteção antivírus que pudesse existir. Além disso, acreditávamos piamente que esta missão era o nosso destino e, por isso, trabalhamos incansavelmente para conseguir cumpri-la. O primeiro resultado tangível chegou em 1994, quando o AVP revolucionou a indústria, oferecendo o melhor ratio de detecção durante a sua primeira apresentação internacional, num teste comparativo oficial, realizado pela Universidade de Hamburgo.

Em 1997, decidimos que o produto já estava suficientemente maduro e que estava pronto para comercialização. Criamos uma empresa independente e nos tornamos os fundadores da Kaspersky Lab.

A partir daquele momento, dirigi a investigação sobre antivírus da empresa – até 2007, quando assumi o cargo de Director Executivo –, levando a Kaspersky a ocupar o quarto lugar no ranking de vendedores de antivírus em 2010.

Moro em Moscou, tenho três filhos, gosto de esquiar e aproveito cada oportunidade que tenho, quando não estou viajando, para me dar ao luxo de passar uns dias nos Alpes. Apesar da nossa recente aliança com a Ferrari, tenho de me conformar em satisfazer a minha paixão pela velocidade ao volante do meu BMW M3 – as estradas públicas de Moscou deixam muito a desejar e não estão minimamente adaptadas às supermáquinas italianas!

Mais detalhes da minha biografia aqui.

Fotos em alta resolução disponíveis aqui.

Precisa de mais informação? Sinta-se à vontade para entrar em contacto comigo.


%d blogueiros gostam disto: