Kamchatka-2012: Ursos.

Dia 2. Ursos. Ursos por todo lado – E nenhum dava medo.

O Lago Kuril é famoso, não só pela paisagem local e pelos vulcões nas redondezas, mas também pela “situação demográfica”, é a casa dos ursos: há um montão deles!

Vagueiam pelos acampamentos, às vezes sozinhos, outras vezes em família – é comum ver as mães ursos com os seus filhotes. O camping onde ficamos tinha uma cerca que separava o acampamento das zonas selvagens habitadas pelos ursos. A cerca é elétrica, mas não muito – ou seja, apenas o suficiente para dar susto nesses grandes mamíferos peludos – por isso, geralmente, os ursos não se atrevem a investir contra a tal cerca com todo o seu peso e força. Tal como nos tinham dito, os ursos tocam nos objetos que não conhecem com o focinho e um choque elétrico muito suave é o suficiente para corrigir o seu “piloto automático”. Os ursos não querem saber das pessoas que estão do lado de dentro da cerca e continuam com suas vidas despreocupados, a poucos metros da barreira.

Conseguíamos ver que fora do perímetro tudo estava relativamente calmo… até que um dos ursos mais velhos começou a perturbar um dos membros mais novos e fracos do grupo. Cansado de tanta perseguição, o mais novo decidiu fugir em vez de lutar, seguindo (compreensivelmente) o caminho mais curto – justamente o que atravessava o nosso acampamento. Foi quase como se tivesse se esquecido da cerca, investiu contra ela a toda velocidade. Pobre urso! Não demorou muito para se lembrar, com certeza. Apesar de tudo, o urso acabou bem, só ficou um pouco assustado!

// Como dizia um antigo ditado: “um hipopótamo pode ver mal, mas tendo em conta o seu tamanho, isso não é um problema”:


Pouco depois de chegarmos, assim que vimos o primeiro urso, fomos logo tirar algumas fotos. Mas bastou um dia para que todo mundo perdesse o interesse: nos acostumamos a eles e paramos de fotografar. Que mudança. Acho que era Dostóievski quem dizia: “conseguimos nos acostumar a qualquer coisa”. Até aos ursos de Kamchatka🙂

Os ursos ocupam grande parte das margens do Lago Kuril para pegar peixe. Só ao longo de uma pequena área vimos 9!

“Os ursos são perigosos?” Esta é uma questão pertinente. A resposta? Bem, se a gente não criar confusão nem os provocar de alguma forma, e se seguirmos a regra de NUNCA alimentá-los, não há problema. Um urso de Kamchatka de barriga cheia (o rio Ozernaya é o maior viveiro do mundo de salmão vermelho) é uma criatura preguiçosa, que se assusta facilmente e que, em caso de encontro, é o primeiro a sair do caminho. No entanto, há sempre exceções: nas redondezas há um monumento ao famoso fotógrafo japonês Michio Hoshino. Uma história triste.

O Lago Kuril também funciona como creche para os ursos…

O Kuril agora tem instalada uma câmara ao vivo! Se quiser dar uma espiada e estiver na Europa, lembre-se de que Kamchatka é bastante longe – para chegar lá são necessárias mais de 8 horas em avião – por isso, é melhor observar as filmagens da webcam à noite ou antes do almoço.

A área do Lago Kuril é um lugar fantástico, mas gostaria de deixar algumas sugestões aos responsáveis pelo turismo da zona: Então, as coisas que devem ser feitas/classificadas:

  1. Mudar o pôr-do-sol para o outro lado do lago – desta forma, em vez de vermos o nascer do sol sobre o lago, veríamos o pôr-do-sol. Seria muito mais bonito!
  2. Fazer um balneário, já que a água do lago é tão fria. Ou, pelo menos, colocar a “praia de água quente” mais perto do acampamento.
  3. Mudar periodicamente a posição dos vulcões. Como estão sempre no mesmo lugar acaba por ser um pouco entediante.
  4. Dar aos ursos umas bicicletas para poderem dar umas voltas. Haveria muito mais diversão por todo lado!

Este é, de fato, um lugar fantástico. Para mim, não é novidade – a última vez que estive aqui foi em 2010. Na verdade, esta viagem a Kamchatka de 2012 me fez lembrar muito da viagem de 2010 – os itinerários, visitas e excursões foram muito semelhantes. O que não é nada mau, adoro este lugar, por isso, foi ótimo.

Este ano, os nossos vizinhos no acampamento faziam parte de uma equipe de filmagens francesa. Utilizando um pequeno balão de ar quente muito legal – com uma sofisticada câmara pendurada, que era controlada remotamente –, estavam filmando uma espécie de documentário sobre o lago. Adoraria ver o resultado final!

E, para terminar, mais fotos.

A estrada e o beco sem saída dos ursos:

Pen drives USB em forma de garra de urso!:

Paisagens:

Mais fotos de ursos e paisagens do Lago Kuril podem ser encontradas no blog de A.B.

No comments yet... Be the first to leave a reply!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: